Carro, individualismo e a cidade

Tava lendo “A automação e o futuro do Homem” e achei este trecho interessante. É um livro de Rose Marie Muraro (1969) sobre o como a técnica influenciou na configuração das relações sociais ao longo o tempo (teria postado aqui, mas não achei o ebook).

Ela parte da invenção da roda e técnicas utilizadas primitivamente pra chegar na atualidade. Em algum momento, fala da revolução industrial:

“Mais tarde, o automóvel, em que  roda adquire velocidade ainda mais notável, veio misturar tudo a um ponto terrivelmente frustrador tanto para o planejador como para o habitante, tornando as ruas perigosas e impedindo-as de desempenhar o papel de lugar de encontro da comunidade, dando nascimento ao homem solitário e neurótico da grande cidade.” (p.47)

Anúncios
Esse post foi publicado em Opiniões. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s